sac@jofadel.com.br   (35) 2106 - 1500  

NORFLOXACINO LEITÕES

NORFLOXACINO LEITÕES

SUSPENSÃO PARA USO ORAL

USO VETERINÁRIO

FÓRMULA

Cada 100 mL de suspensão contém:

Nicotinato de norfloxacino 3,465 g
Pectina 0,500 g
Hidróxido de alumínio gel 5,000 g
Veículo q. s. p. 100,000 mL

MODO DE AÇÃO: O nicotinato de norfloxacino é um sal do norfloxacino, que é uma fluorquinolona com absorção oral e efeito antibacteriano. Apresenta amplo espectro de ação, atuando contra bactérias Gram positivas e Gram negativas. É ativa contra estirpes de Neisseria gonorrheae susceptíveis e resistentes à penicilina. O nicotinato de norfloxacino inibe a atividade da DNA girase, uma enzima bacteriana essencial, envolvida na replicação do DNA, alterando sua estrutura, gerando trocas anormais na produção de polipeptídeos. Este é um mecanismo de ação bem diferente do mecanismo de outros antibióticos já bem conhecidos. A DNA girase tem sido encontrada em numerosas bactérias. É composta por duas sub-unidades A e duas sub-unidades B. Existe uma quantidade igual de sub-unidades, sendo requeridas quatro entidades dos dois tipos para ser ativa. Como esta enzima é multifuncional, existem teorias alternativas sobre o mecanismo de ação das fluorquinolonas. Muito embora alguma resistência cruzada com fluorquinolonas tenha ocorrido, é muito pequena a incidência de resistência cruzada com o norfloxacino. O hidróxido de alumínio gel permite uma perfeita homogeneização dos componentes da fórmula com a água. É usado no tratamento da diarreia crônica, como adsorvente.

A pectina é amplamente empregada no tratamento da diarreia. Sua decomposição no cólon se dá por ação bacteriana e os produtos desta decomposição podem ser ácidos que fornecem um ambiente desfavorável para a flora bacteriana anormal, que causa a diarreia.

ATENÇÃO: OBEDECER AOS SEGUINTES PERÍODOS DE CARÊNCIA:

SUÍNOS:

ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO 27 DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO. A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO EM CONDIÇÕES DIFERENTES DAS INDICADAS NESTA BULA PODE CAUSAR A PRESENÇA DE RESÍDUOS DO PRODUTO ACIMA DOS LIMITES APROVADOS, TORNANDO O ALIMENTO DE ORIGEM ANIMAL IMPRÓPRIO PARA O CONSUMO.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO, POSOLOGIA E MODO DE USAR: Via oral. AGITE VIGOROSAMENTE ANTES DE USAR.

Suínos: 1 mL (uma compressão do êmbolo da dosadora), para cada 3,5 kg de peso, 1 vez ao dia, de 3 a 5 dias, até 48 horas após o desaparecimento dos sintomas, ou a critério de Médico Veterinário.

Leitões até 3,5 kg de peso: 1 mL.

Leitões de 3,5 até 7,0 kg de peso: 2 mL.

Leitões de 7,0 até 10,5 kg de peso: 3 mL.

INDICAÇÃO: Tratamento dos suínos nos casos de pleuropneumonia (Haemophilus spp.), rinite atrófica (Bordetella spp., Pasteurella), disenteria suína (Treponema spp.), síndrome MMA (Escherichia coli, Kleibsiella spp), cistite (E. Coli, Proteus spp., Enterobacter spp), diarreia e doenças bacterianas secundárias (Kleibsiella spp., Proteus spp., Pseudomonas spp., Staphylococcus spp., Corynebacterium spp., Clostridium perfringens).

CONTRA-INDICAÇÕES: Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Não se recomenda o uso em fêmeas prenhes ou em fase de aleitamento.

EFEITOS COLATERAIS: Raramente podem ocorrer náuseas, dor de cabeça, tontura, fadiga, erupção cutânea, irritação vulvar, dor abdominal, dispepsia e insônia. Em animais jovens pode causar artropatia.

CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO: Conservar em local seco e fresco, ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças.

APRESENTAÇÃO: Frasco dosador com 100 mL.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO E APLICAÇÃO SOB ORIENTAÇÃO DE MÉDICO VETERINÁRIO.